Tudo sobre a Hérnia Discal

0

Os discos intervertebrais são estruturas que têm como função amortecedor e proteger entre as vértebras da coluna.

Cada disco é constituído por um  núcleo de gel mole envolvido por uma estrutura exterior fibrosa mais resistente.

Maioritariamente nos seniores a estrutura exterior rija pode criar zonas frágeis. Havendo uma deslocação do núcleo interior mole do disco criando ao que se denomina de hérnia discal. Devido a compressão da hérnia discal  nas raízes nervosas no canal espinal próximo, surgem sintomas relacionados com os nervos:

  • dor
  • dormência
  • fraqueza muscular

Em casos mais graves pode atingir nervos que controlam o intestino e bexiga resultando nas seguintes causas:

  • incontinência urinária;
  • perda de controlo do intestino.

Porque existem as hérnias discais?

Actualmente ainda não existe nenhuma explicação geral, contudo as teorias abordam a combinação dos seguintes factores:

  • Envelhecimento do disco – As hérnias discais são comuns entre as pessoas com idades entre os 35 e os 55 anos. É um dos factores mais importantes de causa, devido à estrutura exterior do disco sofrer uma degenerescência lenta;
  • Factores genéticos – Em algumas famílias,  a doença tem uma característica familiar, pode ter um início mais precoce, afectando pessoas com idades mais jovens;
  • Factores de risco individuais – Pessoas ligadas a desportos que têm como características levantar pesos pesados ou virar e dobrar excessivamente.

Onde surge uma hérnia discal na coluna vertebral?

  • Cervical – entre as vértebras no pescoço;
  • Torácica – entre as vértebras do tórax – mais raras;
  • Lombar – entre as vértebras na parte inferior da coluna, acima da bacia – são as mais comuns.

Como se manifestam?

Normalmente o primeiro sintoma de uma hérnia discal é a dor nas costas. Embora este sintoma não signifique que haja uma hérnia do núcleo interior, os sintomas variam e dependem da zona da hérnia discal:

  • Na região cervical
    • Dor no pescoço, ombro, omoplata, braço ou tórax;
    • Dormência ou fraqueza no braço ou dedos;
  • Na região torácica 
    • Sintomas vagos, enganosos e prolongados;
    • Dor na parte superior das costas, parte inferior das costas, tórax, abdómen ou pernas;
    • Fraqueza e dormência numa ou ambas as pernas;
    • Algumas pessoas afectadas queixam de incontinência intestinal ou da bexiga;
  • Na região lombar 
    • Dor intermitente e ligeira na parte inferior das costas dado por um acontecimento (tais como levantar pesos, flexão súbita, torção abrupta);
    • Dor forte na à coxa e perna, denomina-se de dor ciática;
    • Raramente há uma compressão mais extensa, mas esta cria sintomas adicionais;
      • Dor rectal;
      • Perca de controlo do intestino e da bexiga;
      • Dormência em redor da área genital, nádegas ou parte de trás das coxas.

Hérnia Discal – tratamentos

Na maioria das pessoas, a dor nas costas (lombalgia) melhora, gradualmente, após quatro a seis semanas de tratamento.

Regularmente, uma hérnia discal (com ou sem ciática) poderá ser tratada por método conservador.

  • Repouso  (em regra, não mais de um ou dois dias);
  • Banhos quentes;
  • Almofadas de aquecimento;
  • Medicamentos, tais como aspirina ou outros fármacos anti-inflamatórios ou relaxantes musculares

Prevenção

Por vezes não é possível evitar uma hérnia discal. Contudo pode diminuir as probabilidades de voltar a acontecer, caso já tenha tido uma hérnia discal.

  • Evitar actividades que requeiram levantar pesos ou flexões repetitivas;
  • Praticar uma boa postura;
  • Manter um peso saudável;
  • Medidas posturais podem promover alterações benéficas para a curvatura das costas;
  • Hérnia discal na coluna cervical, pode ser útil a tracção e a utilização de um colar cervical;
  • Seguir um programa de fisioterapia direccionado para aumentar a força muscular das costas e melhorar a flexibilidade do abdómen e das costas;
  • Praticar exercício regular, particularmente, natação e caminhada.

Outros tipos de tratamento incluem ultra-sons, massagem e acupunctura.

A cirurgia é usada em casos que a dor é implacável e apresentar uma lesão nervosa progressiva, neste caso de cirurgia da hérnia discal é feita através da remoção do fragmento do disco herniado.


 

Fonte1, Fonte2, Fonte3, Fonte4, Fonte5

Partilhe.

Deixe o seu comentário