Fisioterapia na terceira idade

0

Ao longo do processo de envelhecimento, as capacidades de adaptação do ser humano vão diminuindo, tornando-o cada vez mais sensível ao meio que o rodeia. Assim, surge a importância da fisioterapia na terceira idade.

Com o declínio progressivo das suas capacidades, principalmente a nível físico e também devido ao impacto do envelhecimento, o idoso vai alterando os seus hábitos e rotinas diárias, substituindo-as por outras ocupações e atividades menos exigentes. Esta diminuição de atividades conduz a consequências muito sérias, tais como a redução da capacidade de concentração, coordenação e reação motora em diferentes situações. Tudo isto, potencia o surgimento de processos de auto desvalorização, diminuição da sua autoestima, apatia, desmotivação, solidão, isolamento social e mesmo depressão.

A Fisioterapia tem aqui um papel muito importante.

É verdade que o tratamento de Fisioterapia pode ser necessário em qualquer fase da vida, mas, no idoso a sua importância é tão relevante no tratamento como na prevenção. A fisioterapia visa preservar, manter, restaurar ou desenvolver funções nas áreas motoras, sensoriais, cognitivas, psíquicas ou sociais, proporcionando assim melhoria da sua qualidade de vida. As práticas preventivas ocupam, em qualquer especialidade, um lugar de destaque, sobretudo em idosos cuja condição patológica geral tenha diminuído de forma significante as suas possibilidades de mobilização e independência.

Com a prevenção, a Fisioterapia ajuda os idosos a superar as constantes ameaças ao seu equilíbrio, ajuda a melhorar as suas capacidades funcionais como também os ajuda a ganhar consciência das suas limitações.

As grandes áreas de intervenção da Fisioterapia no idoso recaem fundamentalmente sobre:
Tratamento do paciente com imobilização prolongada;
Tratamento dos quadros inflamatórios;
Tratamento de sequelas de acidente vascular encefálico;
Tratamento preventivo nos quadros demenciais;
Tratamento dos quadros osteodegenerativos.
Em tudo isto é imprescindível a participação e envolvimento dos familiares no tratamento do idoso.

Fonte

Partilhe.

Deixe o seu comentário